Conheça o primeiro projeto REDD SOCIALCARBON Standard e VCS - Instituto Ecológica

Conheça o primeiro projeto REDD SOCIALCARBON Standard e VCS

20 de Agosto de 2014

Ecomapuá Amazon REDD Project gera 1.572.478 SOCIALCARBON VCUs em sua primeira verificação

O Brasil tem mais de 470 milhões de hectares de floresta, cobrindo 60,14% da totalidade do seu território e colocando o país em segundo lugar entre as nações com a maior área de floresta do mundo. No entanto, o Brasil também foi anteriormente o país com os mais altos níveis de perda de florestas, tendo 3.090.000ha desmatados entre 2000 e 2005. A expansão da fronteira agrícola e da criação de gado tem tido grande contribuição para essa taxa de desmatamento elevada, a qual está concentrada na parte norte do país, onde se encontra Amazônia.

O Ecomapuá Amazon REDD Project é localizado na parte oeste da Ilha do Marajó, no estado do Pará, Brasil. Marajó é a mais rica região do país em termos de hidrovias, e tem uma longa história de colonização por agricultores de subsistência. A área tem um ecossistema extremamente valioso para muitas espécies, especialmente conhecido pela sua avifauna.

O Projeto foi concebido pelas empresas proponentes Bio Assets Ativos Ambientais e Ecompuá Conservação Ltda ainda no ano de 2002 e agora foi aprovado de acordo com o SOCIALCARBON Standard e o VCS, conforme a auditoria independente da RINA. O papel de desenvolver os documentos de projeto dos dois padrões de certificação foi da consultoria brasileira Sustainable Carbon – Projetos Ambientais Ltda.

O objetivo principal do projeto é evitar o desmatamento não planejado de uma área de 86.269,84ha. Durante o período de monitoramento do padrão VCS, o qual contabiliza as emissões de carbono, o projeto evitou por volta de 3.350ha de desmatamento, resultando em 1.572.478 tCOe em emissões reduzidas no período de monitoramento de janeiro de 2003 a dezembro de 2012.

Além das melhorias ambientais, o projeto proporciona benefícios sociais e econômicos para a comunidade envolta, o que é avaliado pelo SOCIALCARBON Standard. Dentro do projeto há uma área dedicada às comunidades, a qual concentra uma escola, uma igreja, um espaço para reuniões e um viveiro de mudas. Foi também realizada uma consulta local às partes interessadas, durante a qual as ações do projeto foram discutidas com a comunidade. Dentro dessa discussão incluiu-se conservação florestal, cursos oferecidos para a população e o viveiro de mudas. Na ocasião, a empresa Ecomapuá se propôs a custear três bolsas em Universidades do Estado do Pará para os melhores alunos das comunidades e a doar material de construção para um novo viveiro para produção de mudas. Foi ministrada também uma palestra ao curso de Gestão Ambiental na UNOPAR – Breves, buscando expor o projeto de créditos de carbono e conscientizar a população sobre a conservação florestal da Amazônia.

Perguntamos a Lap Chan – sócio-diretor das empresas proponentes do projeto – sobre a adoção do SOCIALCARBON Standard e ele disse que “o SOCIALCARBON é uma ferramenta eficiente capaz de gerir e demonstrar os co-benefícios do nosso projeto com base comunitária para o mercado”.

Esse é o primeiro projeto REDD com participação do SOCIALCARBON Standard, e estamos muito animados de fazer parte dessa iniciativa que, além de proteger a floresta Amazônica, uma dos maiores patrimônios ambientais mundiais, está também incentivando o desenvolvimento social e econômico das comunidades. Esse é um passo muito importante para a equipe do SOCIALCARBON, e esperamos que esse sucesso alavanque muitas outras iniciativas!